Rumo ao Milionésimo Círculo!

paloma pqe logo

Mulheres, já recebemos alguns cadastros de Círculos de Mulheres que estão semeando lindos trabalhos por aí!

Confiram na página “Círculos”. Ahow!

“Os Círculos de Mulheres são formados um a um. Cada Círculo expande para mais mulheres a experiência de pertencer a um deles. Cada mulher, em cada círculo, que se transforma através de sua experiência nele, leva estas mudanças para outras relações. Até que, em um determinado dia, um novo Círculo se formará e ele será o Milionésimo Círculo – aquele que faz a diferença – e nos levará a uma era pós-patriarcal.”

Jean Shinoda Bolen

Quando cheguei ao final da leitura de “O milionésimo círculo”, da Jean Shinoda Bolen, fiquei no afã de cadastrar no site indicado pelo livro o grupo do qual fazia parte.  Logo esse afã tornou-se um insight, um desejo  de criar um espaço brasileiro onde o mesmo fosse possível. Cá estamos!

Que esse seja um espaço de força, de empoderamento do feminino. Que possamos ver as maravilhas que as mulheres têm feito Brasil afora.

Cadastre seu Círculo de Mulheres aqui, nessa jornada rumo ao Milionésimo Círculo:

http://circulodemulheres.com/?page_id=2

Com gratidão e fé nesse movimento,

Paloma


A Grande Mãe

Sem título

“A Grande Mãe é o reconhecimento de nossa origem comum, uma reverência às forças da natureza que dão suporte à vida humana.

A Grande Mãe representa um trabalho que assumimos de nos relacionarmos como irmãos, é o desenvolvimento de uma capacidade amorosa para com a vida.

Aprendi no Xamanismo que toda energia nos é confiada pela Grande Mãe e que em vida devemos nos desenvolver para elevar a natureza através de nossa realização; podemos elevar ou denegrir a natureza com nossas ações.

Toda pessoa que desperta acorda em si um senso de compromisso, pertencimento e participação na vida. Entre a nossa vida e a nossa morte existe o que fazemos de nós mesmos e o que fica como legado para gerações futuras. Nossa origem encontra em nosso destino a revelação de quem nos tornamos.

A mãe cresce em nós, se torna grande quando recebemos de nossas mães a vida e desenvolvemos a capacidade de acolher. A Grande Mãe mora em todo aquele que assume o compromisso de gestar um mundo mais inclusivo. A vida é um trabalho, um tempo para reunirmos em nossas realizações o pai-céu e a mãe-terra. O ego é tão somente a semente de nosso espírito, se desenvolve quando se realiza na terra em uma árvore no jardim de nosso Pai.”

Mauro Buhler – www.circuloaletheia.com

Bem-vinda…

cropped-comadres.jpg

“Ah minha Criatura admirável…
Seja bem-vinda…Entre, entre…
Estou esperando por você… é, por você e pelo seu espírito! Fico feliz por você ter conseguido encontrar o caminho…
Venha, sente-se comigo um pouco. Pronto, vamos fazer uma pausa, deixando de lado todos os nossos “inúmeros afazeres”. Haverá tempo suficiente para todos eles mais tarde.

Em um dia distante, quando chegarmos às portas do paraíso, posso lhe garantir que ninguém vai nos perguntar se limpamos bem as rachaduras na calçada. O que é mais provável é que no portal do paraíso queiram saber com que intensidade escolhemos viver; não por quantas ninharias de grande importância” nos deixamos dominar.

Por isso vamos, por enquanto, permitir apenas que o pensamento tranqüilo nos abençoe por um tempo antes que voltemos a falar sobre o velho realejo do mundo…”

Clarissa Pínkola Estés – Ciranda das Mulheres Sábias